EME- Encontro de Mulheres estudantes da UNE

Partindo da ideia de umas das diretoras de mulheres da UNE, O Encontro de Mulheres Estudantes (EME) teve sua primeira edição em 2005 e passou a acontecer de dois em dois anos, com o objetivo de ser um espaço de organização e fortalecimento do debate feminista na entidade, assim contribuindo no combate ao machismo e todas as formas de opressão sofridas dentro das universidades e no movimento estudantil. Desde então, com muito esforço e comprometimento de mulheres estudantes de várias universidades espalhadas pelo Brasil, o EME da UNE se consolidou como o principal evento de mulheres estudantes no Brasil.



A luta das mulheres é um pilar fundamental na construção de uma sociedade libertária e combativa no enfrentamento ao neoliberalismo conservador, e se faz ainda mais necessária neste período que passamos agora, ou seja, um período de ataques às mudanças que construímos recentemente, de ataques aos direitos conquistados e de constante ofensiva de retrocessos. Se antes vivíamos um período de organização para ampliação de direitos e políticas públicas, hoje nos organizamos na resistência à medida que se aprofunda a retirada de muitos destes direitos.


Acreditamos que construir o feminismo é enfrentar o conflito que o capital coloca contra nossas vidas, é enfrentar as estruturas racistas, colonialistas e heteronormativas, construindo, assim, um movimento que denuncie as agendas neoliberais através da mobilização do povo. É preciso entender que a organização da sociedade capitalista se pauta em um retorno a aspectos violentos, entre eles a degradação das mulheres como condição essencial para continuidade do capitalismo em qualquer época, para que se continue subordinando à produção de lucro.


É necessário e central refletir sobre o cenário no qual nos encontramos para pensar alternativas e resistências para o enfrentamento no próximo período. O nosso caminho de construção sempre foi a rua, marchando contra a violência, por autonomia e pela transformação estrutural da sociedade.


No governo de Jair Bolsonaro, onde a educação, as mulheres, e a periferia têm sido suas maiores inimigas, precisamos garantir que as mulheres não sejam maioria apenas ao ingressar na universidade, mas precisamos garantir que tenham condições de permanecer e concluir sua formação. Precisamos fazer valer a nossa voz na resistência, nas universidades e nas ruas de todo o país.


Sabemos que no momento vivemos uma crise política, sanitária, econômica e social, as mulheres são as primeiras a sofrerem os males das desigualdades intensificados pela pandemia, e que são também as mulheres, a vanguarda nos processos de resistência e enfrentamento ao obscurantismo do governo genocida de Jair Bolsonaro, que constantemente organiza ataques à democracia, à soberania dos povos e às nossas vidas! Nossa organização e resistência precisam estar à altura das ofensivas violentas deste governo de morte!


Nas universidades e nas ruas, é preciso conectar nossas lutas tendo em vista que é impossível ligar o capitalismo com qualquer forma de libertação em qualquer espaço e dimensão que seja. Portanto, se faz urgente e necessário resistir para viver e marchar para transformar!


Como preparativo para o encontro nacional, várias universidades realizam o Pré-EME, e aqui no Paraná não é diferente. Nosso Pré-EME acontecerá no dia 18 de junho às 19 horas, com debates e cultural, totalmente online e pela plataforma Google Meet, valendo certificado de horas formativas.



Vem com a gente lutar contra Bolsonaro e seu governo genocida!

Resistimos para transformar: estudantes feministas em defesa da vida e por #ForaBolsonaro!


Acompanhe nas redes: @uneoficial @emedaune @upe.pr


14 visualizações