29M: O dia em que as ruas ecoaram FORA BOLSONARO

O dia 29 de maio foi marcado pelas grandiosas manifestações em todo Brasil, que pediam fora Bolsonaro: contra a reforma administrativa, contra os cortes na educação, pelo auxílio digno e vacinação da população brasileira. As ruas foram inundadas de povo nos quatro cantos do país, e aqui no Paraná não foi diferente. Foz do Iguaçu, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa, Cascavel, Londrina, Francisco Beltrão e Curitiba se mobilizaram para dar o recado, além daquelas cidades que na impossibilidade de ato construíram ações. Na capital do estado o chamado botou mais de 20.000 pessoas nas ruas.


Foto: Paulo Sérgio Vieira | Secretario de Comunicação da UPE

A pandemia causada pela Covid-19 já dura mais de um ano, enquanto vemos a vacinação em massa e a liberação de eventos nos países estrangeiros, o Brasil só retrocede. O governo federal vem cada dia mais mostrando a despreocupação com o povo brasileiro, o que já era evidente e com a CPI da COVID está ainda mais escancarado. Milhões de doses da vacina da Pfizer foram negadas em 11 ofertas ao país, poderíamos ser o espelho da vacinação mundial, mas muito pelo contrario, o negacionista que chamamos de presidente menospreza a ciência, recomenda medicamentos sem eficácia comprovada, promove aglomerações, além de criar um caos com as relações exteriores.


Como se isso ainda não bastasse, recentemente nos deparamos com um corte de mais de 17% do orçamento das universidades e institutos federais, isso representa o descaso e a irresponsabilidade do governador. As instituições federais de ensino são o pilar para que um dia nós possamos vencer a pandemia, são elas as responsáveis pelas mais diversas pesquisas que nos levam ao combate do vírus, a distribuição e produção de álcool, equipamentos, mascaras, testes e o desenvolvimento das vacinas brasileiras, como na UECE e UFPR que apesar de já aprovadas correm risco com os cortes da CAPES e CNPq. Por isso, cortar da educação em qualquer período é retrocesso, mas cortar da educação em meio a uma pandemia que já ceifou a vida de mais de 460.000 brasileiros é sentença de morte.


O povo cansou, por muito tempo ficou impossibilitado de ir às ruas, mas o luto nos levou a luta e o 29M foi a prova disso. Milhares de pessoas, comandadas pelos estudantes indignados, se uniram em defesa do nosso país, seguindo os protocolos de segurança e nos diferenciando dos atos pró-governo, deixamos o recado e mostramos que mesmo em uma pandemia nós ainda temos forças e esperança. Lutaremos por dias melhores e pelo fim de Bolsonaro. Dia 29 de maio foi gigante e dia 19 de junho será maior!!


O povo brasileiro resiste.


Fora Bolsonaro.

22 visualizações