14 de fevereiro de 2016

Pacotaço de Maldades sem fim no Paraná


Há 1 ano o governador Beto Richa enviava a Assembleia Legislativa do Paraná o primeiro Pacotaço de Maldades no qual incluem-se os projetos que autorizam o uso de R$ 8 bilhões da poupança do ParanáPrevidência, cortam benefícios públicos e precarizam a aposentadoria dos funcionários públicos estaduais. A partir de então foram iniciados os desserviços prestados pelo senhor Beto Richa à população do estado do Paraná. Porém a situação não sairia incólume, reagindo à barbárie os funcionários públicos, sindicatos, movimentos sociais, UPE e UPES se mobilizaram,

ACESSE MAIS NOTÍCIAS NO BOX LATERAL

No dia 11 e 12 de Fevereiro de 2015 e realizaram a ocupação da Assembleia Legislativa do Paraná chegando ao enfrentamento da polícia no dia 28 e 29 de Abril. Nestes dias as ações das Tropas de Choque da Polícia Militar beiraram o massacre e chegamos 200 militantes feridxs. Episódio que lembrou e muito o dia 29 de Agosto de 1989, quando o Ex-Governador Álvaro Dias foi mandante do massacre dos Professores realizado pela Cavalaria.

Vimos que depois de 26 anos a tragédia se repetiu através da História, e desta vez contamos com o aval do então Governador Beto Richa em conjunto com o Secretário de Segurança Fernando Francischini e o Comandante Geral da PM do Paraná da época, Cezar Vinicius Kogut.

Apesar disso, o Governador não se deu por contente com as suas artimanhas e desde o primeiro massacre resolveu encontrar outras formas de realizar o desmonte do erário público, agora por meio da implementação de tarifaços que sairão do bolso do contribuinte como aumento doIPVA, água, luz, ICMS, etc. Fatos esses que incluiram o Paraná entre os quatro Estados brasileiros com maior arrecadação de impostos. O objetivo? Cobrir o rombo da lamentável e incompetente administração pública realizada pelo próprio Beto Richa.

Em apenas um ano foram contabilizados quatro pacotaços em que a festa sai por conta dos impostos pagos pela população, enquanto o atual governador desfruta de uma posição privilegiada perante a sociedade paranaense.

Já não bastasse todos esses absurdos, quando pensamos ter chegado ao limite da falta de escrúpulos, vemos que agora quem está na mira das medidas tucanas são as estatais Sanepar e Copel, as nossas meninas dos olhos.

A situação vem se arrastando desde Maio de 2015, quando Mauro Ricardo Costa, na épocapresidente do Conselho de Administração da Sanepar e atualmente secretário da Fazenda, informou a pretensão de vender fatias das empresas de água e esgoto e energia e comunicação do Paraná. Na época, dezenas de trabalhadores protestaram em reação à medida.

Os estudantes permanecem na luta contra os desmandes deste governo incompetente que provoca de forma irresponsável o desmonte do estado do Paraná. Tais medidas não permanecerão debaixo do tapete. Seguiremos realizando as denúncias e mobilizando quanto tempo for necessário para que tais medidas sejam impedidas.

# Redes Sociais