26 de setembro de 2013

UPE e UPES pedem CPI para apurar o caso “Agro-Fantasma” em Guarapuava



A União Paranaense de Estudantes e a União Paranaense de Estudantes Secundaristas entregaram ontem (25) na Câmara Municipal de Guarapuava, uma solicitação de respostas sobre a Operação “Agro-Fantasma” da Polícia Federal. Na carta, os estudantes pedem ainda que a casa abra uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para ouvir os antigos gestores do Programa Ecofeira.



Um dos argumentos para a abertura da CPI são os escândalos investigados de 2009 a 2012 pela Polícia Federal que causaram a prisão do ex-coordenador do programa na prefeitura e da condução para interrogatórios do ex-presidente da Carmug e outros diretores da entidade. Os estudantes citam ainda na carta que o programa tinha como secretário de Agricultura, o atual vereador Milton Roseira Júnior (PSDB).


De acordo com a carta a Câmara precisa mostrar respostas à população. “O segredo de justiça pode continuar dentro das Delegacias Federais , porém entendermos que cabe aos principais acusados da nossa cidade, uma DECLARAÇÃO OFICIAL  nessa casa de leis” afirma o documento.


Confira a carta:

SOLICITAÇÃO DE RESPOSTAS SOBRE O CASO AGRO-FANTASMA

De acordo com as noticias veiculadas em varias mídias no dia de ontem, terça-feira dia 24 de Setembro de 2013, nos estudantes universitários e secundaristas de Guarapuava exigimos explicações mais apuradas sobre o esquema desmascarado pela Policia Federal intitulado “AGRO-FANTASMA”.

         De acordo com as informações disponíveis na internet, o Programa ECOFEIRA que ocorreu entre 2009 e 2012, era uma parceria entre a Prefeitura de Guarapuava e a CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) e visava beneficiar os produtores familiares que produziram alimentos que  seriam repassados a famílias em situação de insegurança alimentar. Esse programa era coordenado pela Secretaria Municipal de Agricultura de Guarapuava, cujo o secretario da pasta o atual vereador  Milton Lacerda Roseira Junior (PSDB) e o Prefeito da época Fernando Ribas Carli.

        Sites de informações da cidade relatam que o processo de investigação ocorre em segredo de justiça, por acreditarmos que a verdade deve ser compartilhada entre a sociedade que se vê perplexa com tamanho esquema de corrupção que não envolve apenas a cidade de Guarapuava, mas muitas outras cidades do Paraná e do Brasil.

        O segredo de justiça pode continuar dentro das Delegacias Federais, por entendermos que cabe aos principais acusados da nossa cidade, uma DECLARAÇÃO OFICIAL  nessa casa de leis.

        Por isso, solicitamos ao atual Presidente da Câmara de vereadores de Guarapuava a abertura de uma COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO, CPI, para ouvir os antigos gestores desse Projeto que foi desmascarado pela Policia Federal.

        Nós, jovens, estamos cansados de ouvir de nossos pais e avós que nada de justo ocorre com aqueles que praticam a “Má Política“, que políticos não são condenados e a eles nada acontecem. Acreditamos que essa época nebulosa do “TUDO PODE” passou, e por isso exigimos a convocação desses cidadãos para relatar a VERDADE sobre os fatos.

        Podendo contar com a compreensão dessa Presidência, desde já agradecemos e ficamos aguardando a abertura da CPI.


        Força ao povo Guarapuavano, Força ao povo campesino, Força a nós, estudantes!

União Paranaense dos Estudantes, UPE

União Paranaense dos Estudantes Secundaristas, UPES

# Redes Sociais