19 de junho de 2013

NOTA DE REPÚDIO A AÇÃO TRUCULENTA DA POLICIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO E EM APOIO ÀS MANIFESTAÇÕES EM DEFESA DO PASSE LIVRE E REDUÇÃO DA TARIFA DE TODO O PAÍS

Nota aprovada em 13 de Junho de 2013.

A história do Brasil foi construída por diversas manifestações em defesa das lutas da juventude, educação e trabalhadores pelo país a fora, somos uma nação grande e temos um povo de luta, que está cada dia mais nos espaços de discussão querendo debater e construir um Estado mais forte e soberano.

Mesmo com diversos problemas, os estudantes continuam na luta por todos os direitos que são garantidos à juventude e a toda a nossa sociedade. Não é de hoje que a PM do Estado de São Paulo, controlada pelo governo fascista do PSDB, persistente em manter os métodos da horrenda ditadura militar na lida com a sociedade organizada, destruindo assim os mais elementares princípios democráticos consolidados a décadas pelas gerações que nos antecederam.

A postura da polícia é truculenta e vem a cada dia mais, com suas balas de borracha, bombas vencidas e choques elétricos reprimindo às manifestações de direito, efetuando prisões políticas de cidadãos, fomentando o medo, o silêncio e o conflito. Uma lógica amplamente conhecida pela juventude das periferias do país. Por detrás dos bolsões de miséria instalados no Brasil, esgueira-se uma PM despreparada, violenta e armada. Uma combinação letal a juventude e toda a população.

A PM que é comandada por Geraldo Alckmin, em janeiro de 2012 mobilizou helicópteros, carros blindados e dois mil soldados do Batalhão de Choque para fazer a reintegração de posse no bairro Pinheirinho. Com a violência e truculência já conhecida, as forças da polícia barbarizaram 1.600 famílias que viviam desde 2004 naquele bairro.

A UPE e a UPES, que lutam todos os dias pela democracia em nosso estado também estamos indignados, repudiamos essa situação, ratificando as posturas de todo o movimento social brasileiro, exigimos a humanização da polícia militar de São Paulo, defendemos que povo possa ter sua voz ouvida e seu direito garantido.

Salientamos, também, a legitimidade da luta histórica pelo passe livre e redução da tarifa, que são bandeiras do movimento estudantil organizado. Acreditamos que a mobilização social, que em muito já contribuiu para as transformações de nosso país, é o caminho para que possamos continuar avançando, inclusive nesta pauta. Desta maneira, a UPE e a UPES reiteram seu apoio às manifestações ocorridas em diversas cidades do país, como Porto Alegre, Goiânia São Paulo, e mais recentemente, Curitiba, entre outras.

# Redes Sociais