5 de março de 2013

61° CONEG DA UNE DEBATERÁ ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PARA MULHERES


Convidados discutirão ações afirmativas para a permanência das estudantes nas universidades

Historicamente privadas da participação na vida acadêmica – estudantes do sexo feminino só puderam frequentar a universidade sete décadas após os homens – as mulheres representam atualmente a maior parcela de matrículas no ensino superior do país, segundo dados do CENSO 2010.


Pensando nisso, o 61º Conselho Nacional de Entidades Gerais (CONEG) traz para o debate a necessidade da criação de ações que garantam melhores condições e a permanência destas estudantes nas universidades brasileiras.

Estarão presentes para a mesa de discussões a ex-vice-presidente da UNE e Secretária de Participação Social de Caruaru, Louise Caroline, integrantes da União Brasileira de Mulheres (UBM) e integrantes da Marcha Mundial das Mulheres (MMM).

As pautas girarão em torno da construção de mais creches para as mães estudantes, currículos acadêmicos que abordem a discussão de gênero, mais seguranças nos campi e educação não sexista, lutando assim contra a mercantilização do corpo feminino.

Para a diretora de mulheres da UNE, Liliane Oliveira, aprofundar o conhecimento sobre esse tema é essencial para romper com a lógica da divisão sexual do trabalho presente também nas instituições de ensino. ‘’Construir um conjunto de políticas que permitam a reparação à mulher, esta que foi impedida de participar de uma universidade durante décadas passa também pela assistência estudantil. Creche em tempo integral, o fim da expulsão de meninas grávidas das residências e a criação de uma ouvidoria que acolha denúncias de violência contra a mulher são algumas de nossas propostas’’, contou.

O seminário de assistência estudantil para mulheres acontece no primeiro dia do CONEG , 8 de março, a partir das 19h no campus Paraíso da Universidade Paulista, em São Paulo.

Renata Bars
Foto: César Ogata

# Redes Sociais