10 de janeiro de 2013

EM RECIFE, AUMENTO DA TARIFA DO TRANSPORTE PÚBLICO MOBILIZA ESTUDANTES


A luta é por um transporte de qualidade, sem reajustes abusivos

Mais uma manifestação contra o aumento da tarifa de transporte público sacode o mês de janeiro. Na tarde desta terça-feira (8/01), cerca de duzentos estudantes liderados pela União dos Estudantes de Pernambuco (UEP) reuniram-se em frente ao prédio da Secretaria de Cidades de Recife para uma vigília em protesto contra o aumento das passagens.


O reajuste foi proposto pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano, que decidiu pelo aumento de 5,5340% na tarifa de ônibus na região de Recife.

O presidente da UEP, Thauan Fernandes, afirmou que os estudantes seguirão lutando por seus direitos na cidade. ‘’Neste início de ano, como repetido há algum tempo todos os anos, somos surpreendidos com um reajuste da tarifa do transporte público. Por isso, saímos às ruas novamente para pedir melhorias e para exigir a diminuição das tarifas, que acabam por excluir parte da sociedade da plena utilização do transporte coletivo’’, avaliou.

Além da reivindicação contra o aumento das tarifas, os estudantes protestam pela democratização do Conselho Superior de Transporte Metropolitano e pela implantação do passe- livre estudantil.

”O movimento estudantil sempre lutou por preços mais acessíveis no transporte coletivo e, principalmente, pelo passe-livre. O livre acesso ao transporte público se  mostra extremamente importante uma vez que passa pela permanência dos estudantes nas escolas e universidades. É uma questão de assistência estudantil’’, explicou Thauan.

Ao final da vigília uma carta de reivindicações foi entregue á secretária de cidades do Recife, Auxiliadora Gomes.

As reivindicações contra o aumento da passagem em Recife não são recentes. No início de 2012, após intensas mobilizações, o movimento estudantil conquistou duas cadeiras no Conselho Superior de Transporte Metropolitano do estado.

No entanto, segundo carta aberta á sociedade pernambucana publicada no site da UEP, a mudança não foi eficaz.

“Apesar da disposição do Governo do Estado em dialogar e do posicionamento apresentado na ocasião de avançar em diversas propostas, entre as quais rever a composição e atuação do conselho, os avanços não saíram do papel. O movimento estudantil não se dobrará a esta postura’’, afirma um trecho do documento.

por, Renata Bars da UNE

# Redes Sociais