5 de setembro de 2012

UPE E UNE ADEREM A CAMPANHA "EXPRESSAR A LIBERDADE"



Campanha lançada dia 27/08 reúne sociedade civil, organizações e entidades do movimento social por uma nova Lei de regulamentação da comunicação
 Lançada no último dia 27 de agosto, a campanha “Para Expressar a Liberdade – Uma nova lei para um novo tempo” reúne diversos setores em prol da aprovação de uma nova lei de regulamentação da mídia que, entre outras coisas, democratize o setor no país.

O lançamento da campanha marcou também os 50 anos do Código Brasileiro de Telecomunicação – uma lei ultrapassada pela tecnologia e pelo avanço dos direitos sociais, que perdura somente pelo lobby dos empresários do setor e pela omissão do Estado brasileiro em sepultá-la.
A UNE acredita que a democratização dos meios de comunicação é hoje uma das principais reformas pelas quais o país precisa passar: “A regulamentação da mídia se vincula à necessidade de fortalecermos o direito à liberdade de expressão, visto que os meios de comunicação no Brasil, tanto na mídia impressa, como na audiovisual, estão concentrados nas mãos de poucas famílias. Precisamos garantir que o volume de informações que chega à população cotidianamente corresponda à pluralidade e diversidade de visões de mundo que nosso povo apresenta”, explicou a diretora de comunicação da entidade, Virgínia Barros.
Virgínia ressaltou, como efeito nocivo do monopólio da mídia, a abordagem que a grande imprensa faz das ações dos movimentos sociais. “Notamos que é comum a tentativa de criminalizar os movimentos sociais em diversas ocasiões. É por isso que a UNE apoia o movimento ‘Para expressar a liberdade’, como forma de unir os esforços da sociedade civil por um novo marco regulatório da mídia que possibilite mais espaços para as diversas visões de mundo”, disse.
#UPEExpressa
O lançamento da campanha no dia 27, de forma irreverente e com muito debate político, tomou as praças, praias, ruas, sindicatos e as redes sociais. O dia de mobilizações começou de manhã, nas redes sociais, com um tuitaço para denunciar a falta de pluralidade e diversidade nos meios de comunicação brasileiros. A hashtag #paraexpressaraliberdade transbordou as fronteiras nacionais e ganhou o mundo.
Para a União Paranaense dos Estudantes,  o debate da regulamentação e democratização dos Meios de Comunicação de fato é muito importante para todos os estudantes do estado, Ronie Lobato Diretor de Comunicação da UPE ressalta que a juventude paranaense tem a ousadia e que ela pode transformar essa realidade.
"Partindo dos cursos de comunicação social, para todas as salas de aula de uma universidade, ou até mesmo do seu centro acadêmico, das reuniões dos DCES, nas redes sociais, onde estivermos, as entidades estudantis tem sim, cada dia mais compromisso com as informações que os estudantes e sociedade recebem. Sabemos que não só no Brasil, mas em todo mundo vemos grupos e mais grupos que diariamente repassam todas as informações à milhões de pessoas, às influenciando, às induzindo e muitas das vezes moldando situações e fatos políticos. Temos que dar um BASTA! Temos que junto aos trabalhadores, estudantes, e toda a sociedade civil organizada impedir que esses coronéis tomem conta da estrutura de Comunicação do Paraná e do Brasil. Vamos juntos lutar por essa liberdade, que gera igualdade e cada dia mais expressão! " disse 
SP: Cortejo e Filosofia
Na cidade de São Paulo foi realizado um sepultamento simbólico. Concentrados na Praça do Patriarca, manifestantes distribuíram panfletos informativos para a população, realizaram um breve ato político e um cortejo fúnebre que se encerrou em frente ao Teatro Municipal, com direito a caixão e tudo mais.
Em seguida, um debate no sindicato dos jornalistas organizado pela Frentex – Frente Paulista pelo Direito à Comunicação e Liberdade de Expressão – com a presença da professora de Filosofia da USP Marilena Chauí, lançou oficialmente a campanha. Em debate da campanha, Marilena Chauí afirma a importância de nova lei para as comunicações.
PE: Praia no Capiberibe
Em Recife, a galera se reuniu no domingo, 26, às margens do rio Capibaribe transformado em praia. As entidades que defendem o direito à comunicação em Pernambuco uniram-se ao movimento “Eu Quero Nadar no Capibaribe e você?” para lançar a campanha “Para Expressar a Liberdade” com festa. Em pleno domingo de sol, os manifestantes mostraram para a população que liberdade de expressão tem tudo haver com muitas outras lutas da sociedade. E que dá, sim, para unir militância e diversão. Praia da liberdade de expressão lança campanha no Recife.
 DF: Para expressar a liberdade é preciso igualdade
Racismo, pluralidade e diversidade na rádio e TV foram os principais assuntos do lançamento da campanha em Brasília, que aconteceu com a comemoração de 5 anos da Comissão de Jornalistas Pela Igualdade Racial do Distrito Federal (Cojira-DF). Os dados sobre o racismo na mídia foram apresentados pelo professor e cineasta Joel Zito. As pesquisas das quais participou indicam que, em uma semana de programação (pouco mais de 300 programas de variedade), apenas 3 programas tratavam sobre a temática negra. Mas o mais alarmante, a porcentagem de apresentadores eurodescendentes em telejornais chega a 93%. “A representação racial na mídia deve corresponder à proporção de negros e índios do Brasil para garantir a diversidade” diz o professor. No DF, lançamento da campanha discute a igualdade racial.
SE: Mobilização e debate
Em Aracaju, a mobilização aconteceu no calçadão do centro da cidade, levantando a bandeira da diversidade e da pluralidade na mídia. Os manifestantes reiteraram que uma nova lei para as comunicações precisa contemplar a inserção de conteúdo regional na produção e respeito aos direitos humanos. Para dar sequência ao ato de mobilização, houve um debate no Sindicato dos Bancários para lançar oficialmente a campanha em Sergipe. SE: Entidades realizam ato em prol do marco das comunicações.
Rio: Alegorias de um teatro aberto
Os cariocas se paramentaram para expressar a liberdade na Cinelândia no final da tarde desta segunda (27). Música, teatro e cordel se articularam nas ruas do centro explicando para as pessoas que o código que regula a radiodifusão no país comemora seus 50 anos praticamente intocado, antecedendo até o lançamento do primeiro satélite. Sergival Silva recitou o cordel sobre a “Peleja de Marco regulatório e Conceição pública na terra sem lei dos coronéis eletrônicos”. Lançamento da campanha acontece cercado de alegorias no Rio de Janeiro.
ES: Da assembleia legislativa ao shopping
Em Vitória, também na segunda (27) houve panfletagem em frente à Assembleia Legislativa e no maior shopping Center da capital, Vitória. Integrantes do Intervozes ( Coletivo Brasil de Comunicação Social ) no Estado entregaram uma versão sintetizada da carta de apresentação da campanha, informando sobre a data e o propósito da campanha. ES: Ato marca o lançamento da Campanha Para Expressar e Liberdade entre capixabas
PA: Debate inicial já define agenda da campanha
Um debate na Faculdade Ipiranga deu o ponta pé da campanha em Belém. Com a participação do Prof. Paulo Roberto Ferreira, da sindicalista Vera Paoloni (CUT), do artista popular Mário Filé, do jornalista Carlos Pará e do estudante Victor Javier, dezenas de alunos e cidadãos interessados puderam discutir as razões e objetivos da campanha, que pretende mobilizar corações e mentes em todo o Brasil. Os organizadores deste movimento no Estado deixaram sinalizada a proposta da organização de um grande debate público, com transmissão pela Internet, para 10 de outubro, como próximo passo da campanha na região.
PR: A televisão do povo
Em Curitiba, munidos de uma TV de papel e um microfone, os manifestantes ocuparam a Boca Maldita, no centro, para dar voz e vez ao povo na televisão. Assim foi o lançamento da campanha, organizado pela Frentex-PR, mostrando que para expressar a liberdade as pessoas precisam ter acesso aos meios de comunicação para pode colocar suas opiniões, fazer circular sua produção artística e cultural, e dar visibilidade para todos. O ato chamou a atenção para a necessidade de garantir a liberdade para a atuação das rádios comunitárias e para que cesse imediatamente a criminalização e a perseguição às pessoas que constroem no cotidiana uma comunicação mais democrática e socialmente relevante.
SAIBA COMO PARTICIPAR
1 – Curtindo e compartilhando as publicações da nossa página no Facebook.
2 – Customizando seu Facebook com a marca da campanha e com as aplicações que disponibilizamos para a capa da sua timeline.
3 – Adesivando sua foto
4 – Acompanhando e participando das mobilizações da campanha.
5 – Se cadastrando no nosso site para receber o boletim.
6 – Divulgando a campanha, colocando um banner no site da sua entidade.
7 – Escrevendo sobre o assunto e publicando nos materiais de sua entidade.
8 – Reproduzindo textos e opiniões sobre a campanha.
9 – Contribuindo financeiramente com a campanha
10 – Formalizando a adesão de sua organização – envie um e-mail para secretaria@fndc.org.
Da Redação com informações de Campanha para expressar a Liberdade


# Redes Sociais