22 de agosto de 2012

PACTO DA JUVENTUDE QUER MAIS PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NO BRASIL!



Lançado na última quarta (15), documento apresenta expectativas com as políticas públicas jovens e o legado da Copa e Olimpíadas
A cidade de Salvador (BA) recebeu na última quarta (15/08) o evento de lançamento do “Pacto pela Juventude”, documento do Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE). Trata-se de uma proposição das organizações da sociedade civil que compõem o CONJUVE para que os governos federal, estaduais e municipais se comprometam com as políticas públicas desse setor (PPJ) em suas ações e programas.Também cobra dos candidatos/as a prefeitos/as e vereadores/as que incorporem em suas plataformas eleitorais as demandas da juventude brasileira.
Ao longo dos últimos anos a agenda de políticas públicas para a juventude vem se consolidando. Uma importante vitória nesse sentido foi a aprovação do Estatuto da Juventude no último dia 15 de fevereiro. Porém, essa terceira edição do Pacto ainda apresenta uma grande preocupação do CONJUVE com a participação social.
“Estamos vivendo um período de consolidação de democracia no Brasil, e estamos consolidando políticas importantes como conselhos municipais de juventude. Apesar disso, muitas cidades ainda não contam com esses órgãos. Os jovens pensam sobre isso e querem contribuir”, afirmou a presidente do CONJUVE, Ângela Guimarães.
O Pacto traz nove pontos principais: garantir educação de qualidade; assegurar o trabalho descente para a juventude; promover a saúde integral; promover o direito à comunicação; promover o acesso à cultura, esporte, lazer e tempo livre; garantir o direito ao território; prevenir e enfrentar a violência; institucionalizar a política de juventude; fortalecer os canais de participação democrática.
“Queremos cidades desenvolvidas porque o desenvolvimento gera desenvolvimento social. Notamos que as grandes cidades não têm políticas de mobilidade urbana, não há fruição na cidade”, completou Ângela.
No debate sobre as capitais, o pacto apresenta uma grande preocupação com os investimentos que os governos municipais farão por conta dos mega eventos que o país receberá: a Copa do Mundo (2014) e Olimpíadas (2016).
“Precisamos ver de que modo vamos utilizar esses investimentos na perspectiva da garantia de direitos para a juventude. Esse é o legado dos megaeventos”, explicou Ângela. “Não há espaços onde a juventude possa se encontrar e usufruir da arte e da cultura”, lamentou.

PLATAFORMA POLÍTICA DA UNE PARA ELEIÇÕES 2012

No próximo dia 7 de outubro, os mais de cinco mil municípios brasileiros elegerão os seus novos representantes prefeitos, prefeitas, vereadores e vereadoras. Assim como o CONJUVE lançou o seu Pacto pela Juventude, a UNE e a UPE também aprovaram uma plataforma política para essas eleições.
As propostas estão separadas entre os temas educação; mobilidade urbana;esporte e saúde; cultura e comunicação; meio ambiente; democratização da gestão e participação popular; segurança pública.
No documento, a entidade também lamenta a realização de eleições sem que o congresso tenha aprovado uma reforma política que democratize o processo eleitoral, garantindo mais transparência, financiamento público das campanhas e maior identidade programática das candidaturas apresentadas.
“A UNE com sua longevidade e com seus 75 anos vem cumprindo esse papel. Ela tem uma rede poderosa que é fundamental para ajudar o conselho a fazer esse debate”, finalizou Ângela.
Camila Hungria

# Redes Sociais