8 de agosto de 2012

HISTÓRICA, CORAJOSA E ATUANTE , UNE FAZ 75 ANOS COM A CONSTRUÇÃO DE SUA NOVA SEDE


Aniversário acontece dia 11 de agosto, no Rio de Janeiro, reunindo políticos, artistas, intelectuais e ex-presidentes da entidade; evento inaugura as obras do novo prédio na Praia do Flamengo 132
Poucas são, na sociedade civil brasileira, as organizações com o legado e a importância da União Nacional dos Estudantes (UNE), que alcança seus três quartos de século no próximo dia 11 (sábado). O aniversário de 75 anos da UNE será comemorado no Rio de Janeiro, a partir das 14h, em um grande ato reunindo políticos, artistas, intelectuais e diversos ex-presidentes da entidade.
O aniversário da UNE será celebrado no terreno da Praia do Flamengo 132, inaugurando oficialmente as obras da nova sede da entidade naquele espaço. O prédio foi incendiado e demolido pelo regime militar, retomado pelos jovens há cinco anos, e será reerguido com a indenização do Estado Brasileiro aos estudantes perseguidos, torturados e mortos durante a ditadura. O projeto é do arquiteto Oscar Niemeyer.
Entre os presentes estarão o fundador da UNE, Irum Sant’Ana; o senador Lindberg Farias (RJ); o secretário nacional de Justiça, Paulo Abraão; o cineasta Cacá Diegues; e o ex-ministro do Esporte e ex-presidente da UNE, Orlando Silva. O arquiteto Oscar Nimeyer também deve comparecer.
EXPOSIÇÃO MEMÓRIA  JUSTIÇA E VERDADE!
A UNE, que já enfrentou a perseguição de ditaduras e outras oposições, que se manteve firme nos momentos mais decisivos da história brasileira e que prossegue atuante, lembrará os seus militantes mortos e desaparecidos durante esse tempo. Em sintonia com o atual movimento pela memória, justiça e a verdade no Brasil, será lançada, durante o evento, uma exposição em homenagem aos estudantes vítimas do regime militar entre 1964 e 1985.
Dois jovens serão especialmente homenageados durante o ato: Honestino Guimarães, presidente da UNE que foi preso e desapareceu nos anos 70, e Edson Luís, jovem que foi morto em manifestação no ano de 1968, levando os estudantes e a sociedade a mobilizações históricas como a Marcha dos Cem Mil.
Durante o evento de aniversário, também será lançado o livro “Praia do Flamengo 132 – Histórias e Memórias”, das historiadoras Angélica Muller e Tatiana Rezende.
A nova sede da UNE na Praia do Flamengo 132 será um Centro Cultural que inclui um teatro, dois cinemas, um espaço multiuso, um museu, uma livraria e um café. Durante o ato de 75 anos, será exibido um vídeo com um “tour virtual” pela nova sede. A ideia é que o espaço seja ocupado pela classe artística e intelectual do Rio de Janeiro e do Brasil, resgatando a experiência do Centro Popular de Cultura da UNE (CPC), que nos anos 60 reuniu figuras como Vinícius de Morais, Arnaldo Jabour, Cacá Diegues (que estará presente ao ato) e Carlos Lyra.

O novo prédio da UNE terá a certificação ambiental LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), a ferramenta de maior reconhecimento mundial quanto ao grau de sustentabilidade e eficiência. A construção terá cobertura verde, bicicletário, ar condicionado com a tecnologia VRV – que possibilita economia elétrica de até 40% – sistema de água reutilizada para irrigação do jardim e do telhado verde, sistema de esgoto a vácuo reduzindo o consumo, e vidros de controle solar seletivos, temperáveis, com baixo fator solar e alta transmissão luminosa.


Em 1942, em meio à Segunda Guerra Mundial, a UNE conquistou o direito de usar o prédio da Praia do Flamengo 132 como sua sede. Os estudantes haviam ocupado o espaço, que pertencia a grupos apoiadores da Alemanha nazista de Hitler.


Em 1964, um dos primeiros atos da ditadura militar recém-instaurada foi invadir e incendiar a sede da UNE. Nos anos seguintes, estudantes foram perseguidos, torturados e assassinados.


Em 1981, ainda durante o regime, os militares demoliram o prédio, que nos anos seguintes foi ocupado irregularmente por um estacionamento clandestino.


Em 2007, os estudantes realizaram uma passeata e reocuparam o espaço, recuperando, depois, a posse legal pela Justiça.


Em 2008, o presidente Lula esteve no terreno e anunciou que enviaria projeto ao Congresso Nacional propondo indenização do estado brasileiro aos estudantes pela demolição de sua sede, perseguição política, torturas e mortes.


Em 2010, o projeto foi aprovado por unanimidade pelo Congresso, com votos de parlamentares de todos os partidos políticos. O presidente Lula e o arquiteto Oscar Niemeyer estiveram no terreno para o lançamento da pedra fundamental da nova sede.


Em agosto de 2012, a UNE inicia as obras e a expectativa é a de que sejam concluídas dentro de dois anos.


ENTREVISTAS E OUTRAS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSARafael Minoro – 11 98614.2689 - imprensa@une.org.br




# Redes Sociais