10 de agosto de 2012

ESTUDANTES SÃO BRUTALMENTE AGREDIDOS PELA GUARDA MUNICIPAL DE BELÉM


Balas de borracha e bombas de efeito moral foram usados para reprimir ato contra aumento da passagem de ônibus
A manhã de ontem (09/08) começou uma triste demonstração da força policial sendo usada contra a sociedade civil. Cerca de 500 estudantes protestavam contra o aumento abusivo no valor da passagem de ônibus na cidade de Belém (PA), quando a guarda civil metropolitana começou um confronto disparando balas de borracha, bombas de efeito moral e spray de pimenta para coibir a manifestação. Diversos estudantes saíram feridos.

 Os estudantes realizaram uma grande passeata até a prefeitura, onde esperavam ser recebidos pelo prefeito da cidade, Duciomar Costa, para expor seu ponto de vista em relação ao transporte público da cidade. “O aumento foi deliberado no conselho de transporte do município sem a presença da sociedade civil. Queremos que o prefeito dialogue conosco”, explicou Rafael Costa, diretor da UNE no Pará.
A UNE e a União Acadêmica Paraense (UAP) têm se mobilizado de forma pacífica para lutar por melhorias no transporte público e contra o aumento da passagem, que passou de R$ 2,00 para R$ 2,20. A resposta violenta da guarda municipal chocou os manifestantes.
“O que vimos hoje foi uma atitude totalmente truculenta, violenta e incabível feita pelo prefeito Duciomar Costa. Ao chegarmos na prefeitura, fomos recebidos com bombas de gás lacrimogênio, balas de borracha, e spray de pimenta. Vários estudantes foram feridos, alguns gravemente. Mesmo tendo corrido e nos afastado da prefeitura implorando para que eles parassem com a violência, eles ainda correram atrás da gente atirando e jogando bombas de gás. Este tipo de atitude mostra a indecência por parte da prefeitura, que trata estudante como se fosse bandido e governa para os empresários de ônibus, não para a população.”, lamentou a presidente da UAP, Tamara Figueredo”.
A indignação dos estudantes chegou às redes: “Hoje fomos duramente reprimidos por exercer, pacificamente, nosso direito constitucional de organização e protesto contra mais essa injustiça social. Não serão sprays de pimenta e bombas de efeito moral que irão tirar da juventude a ânsia por uma sociedade justa e com direitos iguais para todos”, protestou a entidade em seus canais de redes sociais.
No último dia 2 de agosto, os estudantes organizaram um ato em frente ministério público do estado, quando foi entregue um documento para a instituição apresentando diversos fatores que comprovam a falta de qualidade no transporte público, como cadeiras quebradas e ônibus sucateados. Além disso, também entraram com um pedido de anulação do aumento no ministério público.
Os estudantes convocaram outro grande protesto para a próxima segunda-feira, dia 13, em Belém. “Como não houve posicionamento nenhum da prefeitura e a guarda civil nos recebeu com violência, vamos intensificar nossa mobilização. Convocamos todos os estudantes e trabalhadores para, na próxima terça-feira (14/08) marchar até a prefeitura para pressionar por respostas”, disse Rafael.
Da Redação

# Redes Sociais