3 de março de 2010

Diretor de Políticas Educacionais da UPE posiciona-se em defesa da reserva de vagas


 No inicio do século XXI iniciou-se a política de “cotas”, a qual tem como função reparar erros históricos, os quais excluíram negros, índios e a população mais carente brasileira. Porém,  desde o inicio, nossas elites bradam que isso é ser racista e preconceituoso. Querem afirmar que a população brasileira tem as mesmas condições de acesso, e que esta medida fere a constituição. Analisando de primeira mão, este argumento até pode parecer ter sentido, mas através de uma análise mais profunda, não podemos negar o fato de que há uma divisão social na sociedade brasileira e que negros e índios ainda hoje sofrem discriminação. Perante o debate que vêm se desenvolvendo cada vez mais em meio à sociedade, podemos perceber que a maioria da população defende esta política, porém, nossas elites insistem em armar contra a medida. 
Devemos barrar este retrocesso! Não ao golpe das elites que negam o processo histórico brasileiro! Todos em defesa da reserva de vagas por mais acesso a Educação Superior e que cada vez mais o filho do trabalhador, possas estar na Universidade Pública e que a Universidade brasileira esteja a serviço do desenvolvimento social.

Adriano Soares de Mattos (Mú)
Diretor de Políticas Educacionais da UPE
Vice-Presidente Paraná da UNE

# Redes Sociais